7 coisas sobre o Dia Mundial da Luta Contra a Homofobia no Brasil

Há 53 anos, em Nova York, num bar chamado Stonewall, a indignação contra tanto desrespeito e violência contra gays, lésbicas, transexuais se colocou em movimento. No dia 28 de junho, não só frequentadores daquele espaço, mas centenas de LGBTQIAP+ saíram às ruas para protestar contra a violência policial e, mais do que isso , para gritar pelo direito de existir conforme sua orientação sexual.

E pensando neste data de grande significado que nós, do blog, listamos coisas sobre o Dia Internacional do orgulho LGBTQIAP+. Confira:

7 coisas sobre o Dia Mundial da Luta Contra a Homofobia no Brasil

1| Como surgiu

Em 1969, esta data marcou a revolta da comunidade LBGT contra uma série de invasões da polícia de Nova York aos bares que eram frequentados por homossexuais, que eram presos e sofriam represálias por parte das autoridades. A partir deste acontecimento foram organizados vários protestos em favor dos direitos dos homossexuais por várias cidades norte-americanas. A 1ª Parada do Orgulho Gay foi organizada no ano seguinte (1970), para lembrar e fortalecer o movimento de luta contra o preconceito.

2| A importância da data

O Brasil ainda apresenta índices assustadores de violência contra a população LGBTQIA+. É um dos países que mais mata lésbicas, gays, bissexuais e, em especial, travestis e pessoas trans, por este motivo a data tem tamanha importância.

3| Objetivo

A conscientização da sociedade sobre a importância do combate à LGBTFobia é um dos objetivos da data. O caminho para essa conscientização vem da luta, da insistência e da resistência. É uma luta pelo direito de cidadania e pelo direito de amar.

4| Crime

No Brasil, decisões judiciais recentes (como a que criminalizou a homofobia, em 2019)  geraram também maior representatividade e direitos. Essa foi uma grande conquista, mas a busca pelo respeito e direito de amar segue a cada dia sendo mais importante!

5| Movimentação

Normalmente, são organizadas festas e desfiles nas grandes cidades para reunir os membros da comunidade e simpatizantes do movimento com o intuito de celebrar o amor e a igualdade entre todos os gêneros.

6| Liberdade

A liberdade de afeto e orientação sexual, passa necessariamente pela garantia de direitos comuns às pessoas heterossexuais. Ainda hoje, as leis precisam ter claro que se uma pessoa mantém um relacionamento homoafetivo, cônjuges também têm de ter os mesmos direitos que maridos e esposas em relações habituais.

7| Orgulho de ser você

O Dia do Orgulho LGBTQIAP+ também é um reforço para lembrar as pessoas que todos devem se orgulhar de sua sexualidade e não sentir vergonha da sua orientação sexual.

Da redação

[1] Foto: Pexels