7 coisas sobre o uso da luz uv-c que pode conter vírus e germes

1| Ciência

Segundo o professor Vanderlei Salvador Bagnato, cientista professor titular da Universidade de São Paulo (USP), enquanto as luzes UVA e UVB não são muito microbicidas, isto é, não matam muito bem vírus e bactérias, o UV-C é um excelente agente para eliminar os vírus em geral, inclusive o novo coronavírus.

2| Esperança

A luz UVC já é comumente aplicada em desinfecção de água e superfícies em hospitais, empresas farmacêuticas e laboratórios de pesquisa. Essa luz é absorvida pelas moléculas que formam o DNA nos germes, impedindo a replicação de vírus e bactérias.

3| Luz

A ideia não é nova: os primeiros experimentos foram realizados na década de 30 em escolas na Filadélfia, nos EUA. Foi comprovado que os alunos que estavam nas salas com luz UV-C tinham menor probabilidade de se infectar com algumas doenças contagiosas.

4| Estudos

A luz UVC tem uma frequência de onda mais curta que a UVA e UVB, conhecidas por causar câncer de pele. Por isso ela é absorvida pelas camadas externas de células mortas em nossa pele antes que possa causar danos ao tecido vivo.

5| Contaminação

A luz UVC também se mostrou uma ótima solução em outras situações onde o risco de contaminação está presente, como para desinfetar moedas e cédulas de dinheiro. Alguns dispositivos usando UVC já estão sendo desenvolvidos para estes fins.

6| Ar

Desde que o Sars-Cov-2 se impôs como um novo tipo de patógeno, capaz de ser transmitido por aerossóis no ar, a desinfecção com UV-C tornou-se foco de interesse especial, isso principalmente para tornar lugares como salas de aula, menos propensos a infecção e propagação deste.

7| Germes

O tamanho da sala, a frequência com que o ar passa pelas lâmpadas, a intensidade da radiação que emitem: tudo influencia muito a capacidade de destruir vírus e germes. Uma vez que a circulação de ar nos edifícios difere de local para local.

Texto redigido por @GabiLeaoDisney