7 notícias boas sobre o coronavírus (parte 4)

Em meio a epidemia existem razões para acreditar no futuro e se inspirar com tantas iniciativas que beneficiam a população.

1-Magazine Luiza cria plataforma digital de vendas para auxiliar micro e pequenos empreendedores

Pequenas empresas poderão anunciar seus produtos online na plataforma criada pela Magalu. O portal de vendas online vai auxiliar micro e pequenos varejistas e profissionais autônomos a manter seus negócios durante o período de crise em meio à pandemia de covid-19.

2- Maurício de Sousa libera 188 gibis clássicos da Turma da Mônica online

Até o dia 25 de abril está liberado gratuitamente 188 HQs clássicos de A Turma da Mônica. Para ter acesso é preciso baixar o aplicativo Banca da Mônica, disponível em iOS e Android.

3-Vinho vira álcool para combater coronavírus

Vinho impróprio para consumo que estava armazenado há mais de 15 anos é transformado em álcool 70% e doado para unidades de saúde no Rio Grande do Sul.

4-Messi e outros atletas do Barcelona baixam salários em 70%: pagar funcionários

O melhor jogador do mundo, Lionel Messi, divulgou na última segunda-feira, 30, pelas redes sociais, após o Estado de Emergência decretado na Espanha.

5-Brasil melhora no ranking mundial de medidas contra covid-19

Ranking mundial da Universidade de Oxford, que monitora os esforços de governantes pelo mundo contra o vírus, mostra que as medidas de contenção do novo coronavírus no Brasil melhoraram.

6-Johnson & Johnson vai fabricar 1 bilhão de vacinas contra coronavírus

A empresa Johnson & Johnson anunciou parceria com o governo dos EUA parai fabricar até um bilhão de doses de vacina contra o coronavírus para interromper a pandemia novo coronavírus. A produção vai começar após os testes em humanos, previstos para setembro.

7-Aprovado auxílio emergencial de R$ 600 ao brasileiro

Foi publicada na última quinta, 2, em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), a lei que assegura o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais. A lei estar em vigor, mas ainda falta uma regulamentação do governo. A prioridade do pagamento será para trabalhadores informais que recebem o Bolsa-Família, informais que estão no cadastro único, microempreendedores individuais e contribuintes individuais e informais sem cadastro.

Texto| @kesiapaos| Késia Paos