Companhias Aéreas brasileiras já transportaram 94,7 milhões de passageiros até novembro

demanda por voos domésticos no Brasil avançou 1,57% em novembro em relação ao mesmo mês do ano passado. A oferta, por sua vez, viu ampliação de 2,99% no período. Com a corrida das empresas para repor a capacidade perdida no mercado desde a paralisação das operações da Avianca Brasil, em abril, neste mês o aumento da disponibilidade de transporte já chegou a acontecer em nível superior à procura por parte dos consumidores. Com efeito, o fator de aproveitamento das operações viu o primeiro recuo desde fevereiro. Assim, a ocupação dos voos teve baixa de 1,15 ponto percentual, ficando no patamar de 82,53% no mês. Foram realizadas pouco mais de 8,1 milhões de viagens aéreas domésticas em novembro, um crescimento de 3,05% em relação ao ano anterior (240 mil passageiros adicionais).

Como tem sido destacado ao longo do ano, nesse cenário ainda de reacomodação, em perspectiva individual os desempenhos das principais companhias no mês são novamente distintos daqueles consolidados para aviação doméstica, sendo em geral mais positivos. Os dados ABEAR incluem as operações de suas associadas (GOL, LATAM, MAP, TWOFLEX e VOEPASS) e trazem números agregados das demais empresas atuantes no mercado nacional.

ACUMULADO NO ANO – DOMÉSTICO

Já compilados 11 meses de 2019, a demanda doméstica experimenta crescimento acumulado de 0,71%, para uma oferta ainda 1,24% menor do que há um ano. O crescimento da procura por transporte aéreo ante uma oferta que vai sendo gradualmente igualada leva o fator de aproveitamento a uma alta de 1,60 ponto percentual, alcançando o patamar de 82,63% de ocupação dos voos. Faltando apenas um mês para o fechamento do quadro estatístico do ano, somam aproximadamente 86,4 milhões os passageiros domésticos transportados em 2019, volume 1,56% superior que ao mesmo ponto de 2018 (mais de 1,3 milhão de viajantes adicionais).

MERCADO INTERNACIONAL

Assim como mencionado para o mercado doméstico, para o mercado internacional as estatísticas das associadas ABEAR são apresentadas juntamente com o agregado das demais companhias brasileiras. Este grupo de empresas representa cerca de 30% das operações aéreas internacionais envolvendo o Brasil. A parcela restante é detida por empresas de bandeira estrangeira.

Os resultados consolidados do mercado internacional, ao seu turno, têm sido menos positivos neste ano, em particular no segundo semestre, em oposição ao apontado para os voos domésticos. Os desempenhos individuais das principais transportadoras brasileiras também são menos uniformes em comparação com o mercado doméstico. Possíveis explicações seguem sendo estratégias distintas das operadoras, além da desvalorização da moeda brasileira, o que afeta o comportamento do público consumidor para as viagens internacionais.

demanda por viagens entre o Brasil e o exterior em novembro apresentou desaquecimento de 8,01% em relação ao mesmo mês de 2018. Em paralelo, a oferta teve contração de 10,06%. O recuo da oferta em nível superior à diminuição da demanda resultou no incremento de 1,87 ponto percentual do fator de aproveitamento das operações, que foi de 83,72% no mês. Apesar do aumento da ocupação dos voos, o volume de passageiros internacionais foi 11,23% inferior do que há um ano (quase 100 mil passageiros a menos), totalizando 664 mil viagens no mês.

ACUMULADO NO ANO – INTERNACIONAL

De janeiro a novembro, a demanda por transporte aéreo internacional vê crescimento de 1,21%, enquanto a oferta fica 1,16% abaixo do que se via em igual intervalo de 2018. O fator de aproveitamento registra melhoria de 1,98 ponto percentual para 84,37% de ocupação dos voos no período. Somam 8,3 milhões os passageiros internacionais transportados pelas aéreas brasileiras, recuo de 1,40% no total acumulado em 11 meses (baixa de pouco mais de 118 mil passageiros).

TRANSPORTE DE CARGA E CORREIO

As estatísticas de carga e correio incluem as operações das associadas GOL, LATAM, LATAM CARGO e TWOFLEX, além do registro agregado dos transportes realizados pelas demais empresas brasileiras. Os números de MAP e VOEPASS têm hoje caráter de registro estatístico.

O conjunto de empresas brasileiras transportou em novembro aproximadamente 42,6 mil toneladas de carga paga e correio no mercado doméstico (baixa de 1,20 %) e 18,8 mil toneladas no mercado internacional (baixa de 19,98%).

No acumulado dos 11 meses do ano foram movimentadas 413,6 mil toneladas de carga paga e correio em rotas domésticas (retração de 3,31%) e 204,8 mil toneladas nas rotas internacionais (recuo de 20,85%).

Confira as planilhas completas e infográficos com as estatísticas na área de Dados e Fatos do site da ABEAR.

eldogomes.com.br

Por @EldoGomes | Jornalista Multimídia e YouTuber.