Oi lança e-book com sete ideias para promover a inovação em museus e centros culturais brasileiros

Qual é o futuro dos museus? Como incorporar a cultura digital a esse campo? Como as instituições culturais podem ser autossustentáveis e engajar o público de hoje? Para responder a essas questões, o programa HiperMuseus reúne 49 profissionais de museus e centro culturais, com perfis diversos, vindos de oito estados, para um ciclo de seis meses de inspiração, experimentação, mentoria e trabalho colaborativo, com o objetivo de criar soluções inovadoras para promover a transformação digital dos museus brasileiros.

O resultado desse programa pioneiro, que inclui formação de profissionais, fortalecimento de redes e criação de novas estratégias, será apresentado com o lançamento do e-book HiperMuseus, dia 10 de dezembro, às 19h, no Centro Cultural Oi Futuro, no Rio de Janeiro. A publicação estará disponível para download gratuito, a partir da data do evento, pelo site: www.oifuturo.org.br

Idealizado e coordenado pela museóloga Mariana Várzea e a gestora cultural Lucimara Letelier, em correalização com o Oi Futuro, o HiperMuseus é integrado a um movimento global de museus, como o We Are MuseumsCreative Museums e o Museo Mix. Foram 40 horas de mentorias, três dias de trabalho imersivo em laboratório de inovação e um seminário internacional com 16 palestrantes, representando instituições nacionais e internacionais.

O projeto tem patrocínio da Oi e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro que colaboraram com R$400.000,00 através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e parceria com a Casa Firjan. São apoiadores institucionais do HiperMuseus, o IBRAM, o ICOM Brasil, a ABGC e o Consulado dos Países Baixos.

“Esperamos que o Ebook HiperMuseus, amplie o acesso dos museus e centros culturais a conteúdos inovadores e ao ambiente colaborativo de aprendizagem que formamos com o HiperMuseus,  bem como a seus resultados e às soluções de futuro conectadas às causas contemporâneas e a sua sustentabilidade”, dizem as curadoras do HiperMuseus.

“O HiperMuseus faz parte da linha de atuação do Oi Futuro no campo dos museus, estimulando a inovação e a articulação de redes para formação de novos públicos, promovendo pesquisas, seminários e cursos. O instituto também atua por meio do Museu das Telecomunicações, pioneiro em interatividade e gamificação, que em 2020 será reaberto com novas tecnologias e experiências para o visitante”, diz Roberto Guimarães, gerente executivo de Cultura do Oi Futuro.

E-Book traz sete projetos inéditos

O e-book HiperMuseus apresenta sete projetos inéditos, desenvolvidos ao longo da jornada de mentorias, seminário internacional e laboratório, em que os participantes trabalharam de forma colaborativa em grupos mistos de museus, centros culturais, cultura maker, cultura digital, organizações sociais e designers, criando protótipos de soluções inovadoras para desafios atuais das instituições brasileiras. As atividades ocorreram no Lab Oi Futuro e na Casa Firjan, de agosto a dezembro de 2019.

Além dos projetos e suas possíveis aplicações em museus e centros culturais, a publicação traz textos de especialistas e as principais práticas, propostas e tendências geradas no programa. O livro digital será disponibilizado gratuitamente no site do HiperMuseus a partir de 10 de dezembro.

Conheça os projetos desenvolvidos ao longo da jornada de atividades do HiperMuseus em 2019 . São sete Protótipos HiperMuseus:

1.    MOVEMUSEU – CONTEÚDO QUE GERA MOVIMENTO

Projeto de conteúdo multicanal em que instituições culturais associadas a causas compartilham saberes e experiências para inspirar e apoiar o ativismo, bem como acelerar novas gerações de ativistas. O projeto começa como um canal de YouTube, mas sua ambição é estar em um espaço digital proprietário, que permite o uso de tecnologia para gerar dados valiosos sobre o público engajado na ferramenta, criando novas oportunidades de ativação desse público e fornecendo ainda mais variedade de conteúdo aos usuários.

André Angulo, Angélica Ferrarez, Karina Araújo, Naiara Arruda, Paola Valentina, Pedro Drable, Stella Fontes

2.    CAPT MUSEU

Plataforma de conhecimento interativo que auxilia os museus a captarem recursos, por meio de um portal de aprendizagem lúdica. O conteúdo é apresentado em uma variedade de suportes: vídeos, textos, exercícios, toolkits e hiperlinks que marcarão a evolução do usuário. Ao completar sua formação, o profissional poderá desenvolver campanhas exclusivas em plataformas parceiras de financiamento coletivo.

Davi Gomes, Eneida Queiroz, Leyanne Azevedo, Maria de Oliveira, Rafael Sol, Rebeca Brandão

3.    MUSEU FORA DA CAIXA

Instalação itinerante de um museu em espaços públicos, formada por uma caixa desmontável contendo um kit básico de objetos e atividades produzido com participação de jovens de favelas e periferias. Tecnologias como impressão 3D e kits de robótica são utilizadas em oficinas para troca de conhecimentos e construção de experiências compartilhadas entre museu e comunidade. Ao final, o processo é sistematizado em um e-book.

Maria Fernandes ∙  Sabrina Veloso ∙  Daniela Alfonsi ∙  Marcela Dick ∙  Lara Nacht ∙  Patricia Zendron

4.    #MUSEUPLURAL

Kit de boas práticas, destinado a profissionais que trabalham em museus e centros culturais, que tem por objetivo motivá-los e orientá-los a dar os primeiros passos na construção de novas narrativas para suas exposições e ações educativas. O kit é composto de estratégias e táticas de trabalho, para que incorporem narrativas de públicos diversos, tanto sobre os acervos, como sobre os temas e as causas dessas instituições. A promoção de contribuições de narrativas de forma remota, por meio das redes sociais, poderá induzir encontros e contribuições de forma presencial, em fóruns, atividades participativas e frequentação ampliada das exposições.

Beatriz Barcelos; Dominique Schoeni; Estela Alves; Graziela Escocard; Isabela Arruda; Maria Eugenia Salcedo; Rangel Almeida

5.    EXPOSITEI

Expositei é uma rede social, materializada em plataforma web com versão aplicativo mobile (app), que reunirá num espaço virtual de participação ativa, indivíduos e suas experiências pessoais em exposições e instituições culturais físicas, por meio da criação de conteúdos, narrativas, compartilhamento de imagens e vídeos, formação de coleções em álbuns de memórias, além de promover interações entre usuários e suas redes de relacionamentos – utilizando exposições como mote.

Nathalia Sarro ∙ Fernanda Castro ∙  Paula Nunes ∙  Rafael Sol ∙  Nicole Costa ∙  Renato Medeiros ∙  Ana Carolina Vieira

6.    ABRACE O MUSEU

Plataforma digital de mobilização e captação de doações que apoia projetos de instituições museais por engajamento social e conexão afetiva das pessoas com os espaços culturais. Dois projetos com temáticas sociais, concebidos por duas instituições, ocupam simultaneamente a plataforma. Um equipamento de maior visibilidade dando um abraço em outro de menor estrutura e repercussão nacional. O doador estará abraçando a causa de duas instituições por meio de uma doação única a ser “rateada”. As doações serão realizadas por uma pessoa sempre em nome de outra, criando uma “corrente” de pertencimento. As redes sociais impulsionarão essa ação solidária criando uma grande ciranda colaborativa em torno das instituições e reforçando a simbologia afetiva do ato de abraçar, conectando pessoas a um objetivo social e cultural.

Joana Pires ∙  Thais Mayume ∙  Anapuaká Muniz ∙  Marcio Guerra ∙  Antônio Carreta ∙  Éricka Madeira ∙  Anatacha Sczensy

7.    MUSA – INSPIRAÇÕES DIGITAIS

Ferramenta que visa apoiar gestores de museus e instituições culturais a diagnosticar suas ações de comunicação digital e encontrar novas formas de gerar mais visibilidade, engajamento e sustentabilidade econômica. Musa é, portanto, uma ferramenta que visa democratizar o acesso dos gestores e de suas equipes a práticas e técnicas digitais que tornem suas instituições mais relevantes para todos os seus públicos.

Ana Paula Gouvea, Anelise Pacheco, Gustavo Duran, Heidi Ferreira, Mauro Luiz da Silva, Raphaela Rodrigues, Thiago Gouveia

Sobre Lucimara Letelier: Diretora da consultoria Museu Vivo, voltada à inovação e sustentabilidade econômica em museus e cultura, idealizadora e realizadora do HiperMuseus, ao lado da Inspirações Ilimitadas. Atua em rede, com planejamento estratégico, curadoria de seminários e festivais, Laboratórios de inovação, conteúdos digitais e capacitação. Projetos com mais de 30 organizações, como Museu da Língua Portuguesa, Museu da Imigração, Museu Villa-Lobos, Oi Futuro, Museu do Amanhã, MAR, BNDES. Há 20 anos na gestão cultural, social e museus. Mestre em Administração Cultural pela Boston University, foi Diretora/Gerente do British Council, ActionAid e Fundação OSB. Curadora do Festival ColaborAmerica, professora MBA de Gestão de Museus. Cursou Design em Sustentabilidade e facilitadores de agentes de mudança no Gaia Education/Unesco Change Maker. Conselheira ICOM, ActionAid e ABGC.

Sobre Mariana Varzea: Diretora da Inspirações Ilimitadas Projetos Culturais, empresa especializada no planejamento, gestão e financiamento das instituições culturais, idealizadora e realizadora do HiperMuseus, ao lado do Museu Vivo. Atuando há  30 anos no setor cultural, Mariana Varzea exerceu diferentes consultorias para setores públicos, privados e organismos do terceiro setor, sempre convergindo as áreas de cultura, museus, educação, economia criativa e sustentabilidade.  É coordenadora do MBA de Produção Cultural da Candido Mendes, membra do Conselho da Associação Brasileira de Gestão Cultural, do Comitê Brasileiro do Instituto Internacional de Museus. É museóloga, mestre em História Social e Doutoranda em Museologia pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias–ULHT/Lisboa.

Sobre o Oi Futuro: O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, funciona como um laboratório para cocriação de projetos transformadores nas áreas de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte. Por meio de iniciativas e parcerias em todo o Brasil, estimulamos o potencial dos indivíduos e das redes para a construção de um presente com mais inclusão e diversidade. Na Cultura, o instituto atua como um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a cocriação e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro acredita na arte como ponto de partida para o desenvolvimento de novos processos e inovação. Com espaços positivos e um teatro multiuso, o Centro Cultural Oi Futuro oferece uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia e também abriga o Museu das Telecomunicações, pioneiro no uso da interatividade e da gamificação no Brasil e com um acervo de mais de 130 mil itens que contam a história do setor no Brasil.

Em maio de 2019, o Oi Futuro apresentou a pesquisa de tendências inédita “Museus: Narrativas para o futuro”, que faz um raio-x da percepção do público sobre museus brasileiros e aponta tendências e desafios para repensar o papel do museu no país e engajar mais visitantes. O estudo parte de dados quantitativos e qualitativos levantados para projetar como os museus podem transformar o modo como influenciam a vida contemporânea, promovendo experiências que estimulem a participação ativa do público. Os dados estão disponíveis para download gratuito no site do Oi Futuro https://oifuturo.org.br/pesquisa-museus-2019/

Sobre o Museu das Telecomunicações: Com 13 anos de história, o Museu das Telecomunicações já nasceu inovador, sendo pioneiro no uso de interatividade e tecnologia integradas à museologia no país. O museu fica dentro do Oi Futuro no Flamengo, no Rio, e recebe cerca de 19 mil visitantes por ano. Com entrada gratuita, o espaço reúne passado, presente e futuro de forma arrojada em um mesmo ambiente e leva o visitante a uma viagem pela história da comunicação humana no Brasil e no mundo. São 210m² que traduzem o conceito moderno de museu: o máximo de informação no mínimo de espaço.

A exposição permanente do Museu das Telecomunicações é resultado de um trabalho contínuo de pesquisa sobre o acervo histórico mantido pelo Oi Futuro em sua Reserva Técnica, que hoje possui cerca de 130 mil itens, entre objetos, fotografias, gravações e documentos de diversas épocas. Entre os principais objetos em exposição estão uma réplica do aparelho experimental criado por Graham Bell, aparelhos telefônicos de diversas décadas, incluindo a coleção de telefonia pública, uma das mais completas do Brasil. Há também listas telefônicas digitalizadas que revelam os endereços de cariocas ilustres e arquivos sonoros inéditos, com vozes de Clarice Lispector, Freud e Thomas Edison, entre outros.

O Museu das Telecomunicações é meio e mensagem. Aqui, as tecnologias de comunicação são, ao mesmo tempo, objeto de pesquisa e veículo de engajamento com novos públicos e territórios. A instituição também tem como missão inspirar o campo dos museus para o que está por vir, colocando o visitante no centro do museu, ativando redes e inspirando programas de formação e modernização das atividades fins dos museus no Brasil.

Sobre a SECEC e a Superintendência de Museus: A Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC-RJ) tem por finalidade formular, supervisionar e executar a política estadual para a área cultural e de economia criativa, em articulação direta com a sociedade e demais órgãos públicos e privados envolvidos. A Superintendência de Museus, órgão integrante da SECEC, é a instância responsável pela preservação do patrimônio e da memória. Por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, empresas contribuintes de ICMS do Estado do Rio de Janeiro podem patrocinar projetos culturais utilizando o benefício fiscal concedido pelo Estado, inclusive no setor museal.

Sobre a Casa Firjan: A Casa Firjan é um lugar comprometido com a reflexãoe acriação de propostasesoluções inovadoras para os desafios da nova economia numa sociedade em constante transformação. Com um modelo de atuação único, a Casa Firjan funciona ao mesmo tempo como um núcleo de empreendedorismo e inovação, com cursos alinhados às novas exigências do mercado de trabalho e atividades culturais, e como umambiente de debate e elaboração de políticas públicas.

Serviço:

Lançamento E-Book HiperMuseus

Data: 10 de dezembro – sexta-feira

Local: Centro Cultural Oi Futuro

Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo

Horário:19h

Classificação: Livre

www.hipermuseus.com

Informações para a imprensa:

Carla Meneghini

Comunicação Institucional Oi Futuro

(21) 98834-8827

(21) 3131-3096

carla.meneghini@oi.net.br

eldogomes.com.br

Por @EldoGomes | Jornalista Multimídia e YouTuber.