“O dia da consciência negra só existe porque a sociedade ainda não nos respeita”, Doutora Jane

O dia da consciência negra, celebrado no dia 20 de novembro, foi lembrado hoje (21) pela deputada Doutora Jane (MDB) em discurso durante sessão ordinária da Câmara Legislativa. A deputada ressaltou que a efeméride é importante para despertar a reflexão na sociedade. “Dizem que precisamos de um dia da consciência de todos. Ora, mas o dia da consciência negra só existe porque a sociedade ainda não nos respeita. Há diversas formas de racismo e precisamos nos conscientizar desse problema. O Brasil teve 400 anos de escravidão e somente 100 anos de liberdade para os negros”, ressaltou a deputada.

Doutora Jane também chamou a atenção para o aumento de casos de violência contra a mulher e de feminicídio no Distrito Federal. “Temos duas mulheres violentadas sexualmente por dia no DF. Esse é um problema sério e urgente que temos que enfrentar”, alertou. A deputada Dayse Amarilio (PSB) reforçou o discurso da colega e lamentou mais um feminicídio ocorrido no DF. “É com muita tristeza que estou aqui falando sobre a vítima do último feminicídio nesta cidade, que é filha de uma enfermeira da minha categoria. Não é possível que sigam nos matando e saiam impunes”, reclamou.

Foto: Renan Lisboa/ Agência CLDF
Fonte: CLDF Notícias