Tutorial: Começando seu planejamento de vídeos de marketing (mesmo sem a ajuda de ninguém)

technology lens sony zoom

Olá, hoje o tutorial é dedicado a todos aqueles que estão namorando a ideia de fazer vídeos e apresentações para sua marca ou produto, mas que ainda estão inseguros com isso.

Afinal, a primeira coisa que pensamos quando o assunto é vídeo é que será caro, e demanda o trabalho de toda uma equipe.

Não é bem assim, e vamos mostrar como e porque você pode inaugurar seu “programa semanal” sem a ajuda de mais ninguém, dependendo somente de planejamento e de boas ferramentas (softwares). Portanto, hoje você vai ter:

  • Um passo a passo para começar uma estratégia de produção de vídeo sozinho(a);
  • Ferramentas que vão ajudar você no processo;
  • Formas de otimizar seu tempo e produção de conteúdo.

Bom, vamos ao tutorial, mas antes…

Por que criar vídeos para sua marca (pessoal)?

Vamos ser bem francos: os vídeos são os queridinhos da vez. 

São eles que estão alavancando toda a estratégia de marketing de conteúdo das empresas e também de profissionais autônomos, que buscam ampliar (e espalhar) sua autoridade pela internet.

Os vídeos possuem um poder incrível quando o assunto é criar tráfego e visitas de maneira orgânica. Sua marca vai ganhando reputação, mesmo que aos poucos, mas vai gerando uma base de leads e até mesmo de fãs.

Você pode até continuar apostando no conteúdo escrito e de blog, eles são bons, mas não dá para comparar com o volume e a facilidade de ver vídeos e tutoriais visuais. Se sua empresa trabalha com serviços e soluções complexas, é sua obrigação como profissional de marketing  pensar em algo visual para mostrar para a audiência. 

Planejamento básico para começar a fazer vídeos – mesmo estando sozinho!

Às vezes, a vontade de abrir um canal ou de fazer vídeos é maior do que a “boa vontade” da equipe e do budget disponível para o projeto. Nisso ficamos semanas e até meses esperando “nossa página social acontecer”.

Por isso, a proposta do artigo é ajudar quem está sozinho e que está começando do zero. Envolve um pouco de estratégia de marketing e também de automação, coisa que profissionais dessa área amam. Será necessário conhecer e estudar o público, e estar disponível a aprender sobre redes sociais e sobre edição de vídeos.

Um aviso importante, é que você poderá criar vídeos mesmo sem fazer filmagens e sem ter material próprio; ou seja, nada de ter que se filmar ou gravar cenas. Explicaremos isso no ponto 2.

1)Onde seu público está?

O primeiro passo é saber onde seus clientes e possíveis leads estão. Uma empresa pode querer focar em lugares mais clássicos e anúncios pagos. Já um profissional liberal, deverá ser bem assíduo em redes/sites como Instagram e Linkedin

Mas o verdadeiro ouro está no segundo site mais acessado do mundo: o Youtube.

Você não deve desperdiçar a chance de aparecer lá, afinal, todos os públicos e personas estão nessa rede.

Então antes de pegar em uma câmera ou editor de vídeos, ou de sair montando cenários, entenda onde seu público está. Querer começar uma linha de produção de vídeos não significa que você tem que estar em todos lugares, uma vez que o conteúdo pode ser reutilizado (falaremos disso no último item de hoje).

2)Vídeos rápidos para publicar 3x na semana

Para os profissionais autônomos que desejam turbinar seus perfis sociais, o ideal é que vocês apareçam bastante para o público, e ir levantando sua audiência aos poucos. Isso vai envolver muitos “stories” e muita foto de feed, com um certo trabalho de retoque e de montagem (alguns chamam de tratamento).

Ou seja, você vai ter que saber também sobre edição de vídeos e de imagens, mas isso não significa que você precisa fazer um curso complexo de photoshop.

O que vai te ajudar a levantar uma estratégia de produção audiovisual são as ferramentas que facilitam sua vida. Nesse editor de vídeo, por exemplo, você consegue criar suas apresentações a partir de templates prontos. Sim, é muito fácil, e basta editar as imagens e as frases que seu vídeo de redes sociais vai estar pronto.

Essa ferramenta também é ideal para criar vídeos com narração, que vai descrevendo uma cena ou imagens, criando um storytelling perfeito em seu vídeo. Na InVideo, colocar filmagens ou carregar documentos seus é opcional, uma vez que o programa conta com um banco de mídia próprio. Isso facilita muito sua vida nas redes sociais e na criação de anúncios e “cortes” de seus vídeos maiores, que estarão lá no Youtube.

Para tornar mais claro essa sugestão, vou mostrar o que você pode fazer e como fazer:

  • Criar vídeos com material próprio, e formular frases, CTA’s e imagens para complementar seu vídeo;
  • Criar vídeos com material da ferramenta. Você não precisará fazer filmagens se escolher essa opção, e poderá usar vídeos salvos nela, em nuvem;
  • Criar anúncio de eventos e resumos de outros materiais e eventos de sua empresa.

Dessa forma, você terá em pé uma estratégia de produção de vídeo que não depende de mais ninguém, só de você, sua vontade de aprender a usar esses softwares, e uma boa conexão com a internet (a ferramenta indicada é online ok?).

3) Calendário editorial

Sim, alguns vão pensar “essa etapa não seria a primeira”?

Mas sabe por que falei disso por último? Porque acredito na necessidade de tomar notas e observar o andamento das publicações. Se você não documentar o que está mandando bem ou o que está com poucas interações, você continuará falhando na sua produção de vídeos e de conteúdo.

Então além do calendário para mapear quais dias e lugares você vai publicar (se é no Instagram, Youtube, etc), também marque e tome notas de quais posts fizeram mais sucessos e quais temas mostraram maior interesse do público.

A internet e o Google estão cheios de templates de calendários editoriais. Encontre o que fizer mais sentido para você. Eu particularmente gosto daqueles que possuem os dias da semana e uma coluna de observações ao final. Com os quadrados grandes, consigo colocar os posts e também tudo aquilo que vou compartilhar, que é a última etapa desse tutorial.

4)Compartilhando o conteúdo

É triste dizer, mas se você não compartilhar e “cercar a audiência” em diversos lugares, seu vídeo vai morrer na praia.

O que realmente dá vida aos seus conteúdos, é uma boa estratégia de compartilhamento e também de distribuição.

Seja no e-mail marketing ou pelas redes sociais, o seu “80/20” da produção de conteúdo está em caprichar na hora de levar o conteúdo até as pessoas que nem mesmo sabem quem é você.

E quando digo “caprichar”, estamos falando de textos e chamadas de ação (CTA) realmente cativantes, que despertem curiosidade e que façam a pessoa clicar para consumir seu conteúdo. 

Aqui nessa parte, vai envolver um pouco do mundo do copywriting e dos gatilhos mentais. Estude eles um pouco antes de sair espalhando seus vídeos sem estratégia alguma pela internet e pelo Youtube.

Nota: O lance do compartilhamento permite a reutilização de conteúdo, poupando seu tempo e esforço. Use de editores como o InVIdeo para criar amostras e “cortes” de seus vídeos maiores de Youtube, ou até mesmo amostras de 1 minuto de um podcast ou algum “programa digital” de sua empresa. Faça também artigos sobre vídeos e vice-versa, criando conteúdo a partir do seu blog ou do site da empresa em que você trabalha.

Foto: Banco de Imagens / Pexels
Via Matheus Mourao / Invideo.io